Pela real igualdade dos sexos

Visão feminista do cavalheirismo

Semana passada eu estava na Austrália e assisti na televisão uma entrevista interessante da professora de ética da Universidade de Massachusetts, Christina Hoff Sommers, que estava de passagem pelo país. Christina é uma feminista militante e por muitos anos lutou pelos direitos iguais para as mulheres nos Estados Unidos, mas atualmente ela é uma das maiores críticas de boa parte do movimento feminista que não quer apenas direitos iguais, mas que vê os homens como inimigos das mulheres.

Visão feminista do cavalheirismo

Ela citou várias coisas bem impressionantes durante as 2 horas de entrevista como, por exemplo: algumas leis sexistas nos Estados Unidos que favorecem apenas as mulheres, estudos que mostram a diferença no tratamento que as professoras dão aos alunos do sexo masculino nas escolas americanas e mostrou algumas frases no mínimo bizarras de várias feministas proeminentes nos Estados Unidos.

Entre as coisas que a professora Sommers mencionou durante a entrevista está a visão deturpada que as feministas criaram sobre o cavalheirismo:

  • Homens que se oferecem para pagar toda a conta num restaurante: para as feministas isso é um gesto que mostra que ele não confia na capacidade profissional na mulher; o homem quer passar a mensagem de que não confia naquela mulher para administrar seu dinheiro ou que ela não consegue uma remuneração decente, por isso ele decidiu pagar tudo sozinho.
  • Homens que abrem a porta do carro, se oferecem para carregar seu casaco ou abrir a tampa de um vidro: na visão feminista o homem quer reforçar a idéia de que a mulher é fraca, que é o sexo frágil e ela deve estar sempre ciente de que ele é mais forte fisicamente e poderá subjugá-la sempre que quiser.
  • Homens que se oferecem para arrumar um chuveiro, trocar uma lâmpada ou consertar o carro da mulher: para as feministas o homem quer passar a mensagem de que acredita que as mulheres não devem fazer determinadas tarefas “masculinas” ou que não têm a habilidade necessária para fazer isso.
  • Homens que interferem na discussão ou briga de uma mulher com outro homem para defendê-la: as feministas acreditam que os homens pensam que as mulheres não sabem se defender sozinhas durante uma discussão ou durante uma agressão física e as consideram incapazes de resolver seus problemas sozinhas.

Inacreditável, não é?

Eu sempre fui (e continuo sendo) um grande defensor dos direitos (e também deveres) iguais para as mulheres e o movimento feminista esta certíssimo em lutar por esses direitos, mas esta visão estúpida sobre simples atos de cavalheirismo é simplesmente ridícula. Como a professora Sommers disse durante a entrevista, muitas feministas deixaram de lutar por direitos iguais e desenvolveram uma mania de perseguição onde tudo, até atos de gentileza masculina, são consideradas coisas ruins.

Como masculinista eu acho que a noção de cavalheirismo é algo ultrapassado e desnecessário nos dias de hoje. O homem não precisa ter essa obrigação social de ser gentil, proteger, auxiliar ou se sacrificar por qualquer mulher apenas porque ela é mulher – afinal, ambos devem ter tratamento igual. Se o homem achar necessário ele pode estender seu cavalheirismo à qualquer tipo de pessoa, mulheres e homens, caso ele julgue necessário, mas daí tentar traçar um paralelo entre cavalheirismo e violência contra a mulher é algo extremamente idiota.

Acham que eu estou exagerando? Então façam uma busca rápida na internet sobre o termos “feminismo” e “cavalheirismo”. Você encontrará vários blogs, fóruns e sites mantidos por feministas e suas opiniões sobre o cavalheirismo. Aqui vão alguns exemplos que achei: “o cavalheirismo é produto do machismo e da submissão feminina”“cavalheirismo é a maneira melindrosa dos homens manterem a sujeição das mulheres”“cavalheirismo é a legitimação da violência contra a mulher”, etc.

Muitos que me conhecem já sabem disso, mas quando eu era criança morei na Europa e inclusive fiz um curso sobre como ser um gentleman, e vejo o quanto são ridículas estas afirmações. Homem nenhum paga a conta porque pensa que a mulher não tem capacidade de administrar seu dinheiro, ou abre a porta de um carro para uma mulher para mostrar que pode subjugá-la e muito menos tenta arrumar um chuveiro porque acha que ela não tem capacidade; o que dizer então sobre o último item? Se uma mulher for ofendida ou até agredida por outro homem nós temos que ficar parados sem fazer nada e dizer “se vira e resolva seus problemas sozinha”?? Isso não é nem questão de cavalheirismo, mas de simples defesa de alguém que gostamos. Em uma situação como essa eu defenderia tanto minha namorada quanto meu irmão.

É a típica situação de chifre em cabeça de cavalo.



12 Comments

  1. Vc pode ser cavalheiro, mas tem muito homem que acha que pagar o jantar é pagar pelo sexo. Vide esse cara aqui http://sergyovitro.blogspot.com/2010/09/luiz-felipe-ponde-restos-janela.html.
    Quanto a abrir a porta do carro, me parece exagerado, e realmente dá a impressão que o sujeito deseja uma mulher impotente. Imagina, ficar lá esperando parada o cara dar a volta e abrir a porta? Só se a porta emperrar.

    • Eu concordo totalmente com o autor do texto e o seu comentário é lamentável, Bia.
      Se você acha exagerado que abram a porta do carro então é só falar que não gosta desse comportamento (eu também não gosto), mas daí traçar um paralelo entre o homem querer uma mulher impotente me parece um complexo de inferioridade muito grande. É tão bobo quanto dizer que uma mãe que insiste em preparar um almoço gostoso para sua filha adulta faz isso porque quer ela impotente e dependente da mãe para sempre.
      Sou feminista até meu último fio de cabelo, sou indepenente e melhor sucedida que muitos homens, mas nem por isso eu fico me sentindo inferior e procurando chifres em cabeça de cavalos quando algum homem é cavalheiro comigo. Sou muito confiante de minhas capacidades para ficar me preocupando com coisas tão pequenas; eu não preciso ficar me reafirmando o tempo todo e classificar o cavalheirismo como algo ruim.
      Cavalheirismo é algo muito fofo, mas está cada vez mais raro por causa de mulheres que não sabem valorizar isso, como você.

    • sempre abri a porta do carro sem necessidade nenhuma da minha namorada pedir ou esperar, sempre chamo ela de linda, de especial pra mim, sempre dou o maior espaço no guarda chuva pra ela não se molhar, sempre levo a bolsa dela e carrego qualquer peso que ela carregue, mesmo q pese meio quilo, é de mim, e eu faço tudo isso pq sou diferente, e vc bia ainda nao deve ter conhecido ninguem assim, lamentavel isso, pessoas desiludidas levam qualquer tipo de cavalheirismo como se ele ja quisesse transar ou te pegar de primeira. Falta de maturidade, cresce!

  2. Calma, meninas nem pra mais e nem pra menos!!rss..Não creio que vale a pena brigar pelo miolo do pote!! Não creio que ser ou não cavalheiro, seja o grande Q das discussões feministas!! Há outras bandeiras de lutas, que nós feministas acreditamos ser mais importante e de urgência..como por exemplo as violências contra as mulheres, ocorridas ainda em todos os países, o direito de ter controle sobre nossos corpos (direito sexuais e reprodutivos)!! Mas, quero dizer que como feminista todo tipo de amor e respeito as mulheres são bem-vinda, portanto cavalheirismo pode ser interpretado assim…apenas, creio que quando não aceito, que o homem pague toda a conta..é porque realmente acho justo que eu divida a conta, da mesma forma que um dia ele por exemplo, um dia nao possa pagar um bilhete de cinema, e ela possa..enfim..há vários exemplos na vida cotidiana de um casal…que exemplifique que a divisão das despesas e tarefas são atitudes justas para que possamos reproduzir um sociedade igualitária, onde o fardo também não seja somente para os homens..bjss à tod@s

  3. Tenho 30 anos e não dependo do sexo masculino para nada. Faço tudo sozinha. Troco pneu de carro, conserto chuveiro, pago as minhas contas e honestamente eu odeio essa situação. Quero que abram a porta do carro para mim, quero que troquem o pneu do meu carro, que alguém lembre de olhar a água do carro pq sempre esqueço, quero que consertem o chuveiro, que paguem algumas contas. Detesto cuidar de mim sozinha. É triste D+. Jamais me sentiria menor por causa disso. As vezes penso que a minha avó era mais feliz…

    • O que você acha de contratar um empregado(a)?

  4. …… meu namorado deve teve ter lido muitos livros feministas….. O cavalheirismo é tudo, não é nada humilhante para a mulher, e sim uma forma do outro demonstrar que se importa..

  5. Verônica ri muito do seu comentário, e nesse sentido concordo plenamente com a Daniele, o cavalheirismo é uma forma de carinho e consideração com mulher. É certo que nós mulheres passamos por muitas dificuldades, mas é preciso limitar e não exagerar em determinados assuntos, pois existem muitos outras reclamos que exigem nossa atenção e esse tipo de postura extremista acaba que ridicularizando a bandeira do nosso movimento.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>